Conseguir uma vaguinha no mercado de trabalho é uma etapa difícil da vida profissional, principalmente, uma vaga em sua área de formação. Para quem está no início da carreira então, nem se fala! São poucas as empresas que dão uma oportunidade. Mas não é porque é difícil, que se deve cruzar os braços e acomodar. A primeira coisa a fazer é criar um bom currículo.

O currículo é onde estarão suas informações, trajetória educacional e acadêmica, experiências profissionais, conhecimentos... Portanto, é preciso passar uma boa impressão, pois é uma apresentação que possibilitará a convocação para uma entrevista, ou não. Coloque-se sempre no lugar do avaliador, entre tantos currículos que ele recebe, o seu precisa chamar a atenção. Às vezes, o candidato pode ser até bom, mas por apresentar um currículo ruim, transmite uma péssima imagem.

Como Entrar no Mercado de Trabalho?

As poucas oportunidades, em conjunto com a grande concorrência, dificultam ainda mais a entrada no mercado de trabalho, seja como estagiário, trainee, funcionário, etc. Para todos é difícil, mas não adianta ficar de braços cruzados esperando a oportunidade aparecer, é preciso ter algumas iniciativas e saber com o que você quer trabalhar. Veja nossas dicas:

Contatos

A maioria das vagas preenchidas hoje, são por pessoas que foram indicadas por alguém. Portanto, converse com amigos e familiares, explique sua situação, seus objetivos e peça-lhes para que, se aparecer alguma oportunidade onde trabalham, possam te indicar.

Essa não é uma atitude vergonhosa, pelo contrário, amanhã pode ser ele que precise da sua ajuda. Além disso, muitos preferem confiar na indicação de um funcionário, a ter que marcar várias entrevistas com pessoas desconhecidas, sem nenhuma referência.

Currículo

Outra forma de tentar um lugarzinho no mercado é deixar seu currículo em locais que deseja trabalhar, ou então mandar por e-mail. Muitas empresas pegam, mesmo que não estejam precisando no momento, mas quando surge uma vaga, recorrem aos currículos que deixaram por lá. Se possível, converse um pouco com a pessoa responsável. Mas tome cuidado para não ser chato, nem inconveniente. Caso perceba que a pessoa não está realmente interessada, apenas deixe o currículo.

Cadastro em Sites

Existem sites que disponibilizam vagas para empregos em diversas áreas e muitos são gratuitos. E para quem está à procura de uma vaga, qualquer tentativa é válida. Sendo assim, pesquise os melhores sites e mais acessados, faça seu cadastro e fique de olho nos seus e-mails, porque assim que aparecer uma vaga que corresponda às características do seu cadastro, eles mandam um aviso.

Há também os sites pagos que, normalmente, possuem opções melhores. Portanto, se achar que vale a pena pagar, faça uma tentativa. Veja abaixo algumas dicas que podem ser muito válidas na conquista de uma vaga no mercado de trabalho.

O Que Colocar no Currículo?

  • Ao criar seu currículo, jamais minta ou exagere, pois você pode passar por alguma situação constrangedora. Muitos entrevistadores testam as habilidades e conhecimentos que foram colocados no currículo.
  • Em hipótese alguma inclua no currículo sua pretensão salarial. Se você está ali concorrendo a uma vaga de emprego, não pode ser exigente a tal ponto de colocar o quanto quer ganhar. Com certeza você está mais interessado na oportunidade do que eles (empresa, entrevistador, etc.).
  • Caso queira colocar foto no currículo, coloque 3x4 e nunca fotos de momentos pessoais, montagens, redes sociais, etc.
  • Não fique se qualificando nas informações adicionais (organizado, esforçado, responsável, etc.), cite apenas pontos em que você possui facilidades, como: rápida aprendizagem, bom trabalho em grupo, entre outros.
  • Na parte dos idiomas, só coloque o que você realmente sabe, não ache que vai conseguir enrolar. Avalie sua interpretação, escrita, compreensão (áudio) e conversação.
  • Não informe o endereço de páginas pessoais da internet, se elas forem de caráter informal. » Evite informações incompletas.
  • Evite o uso de pronomes pessoais (ex: você); use pronomes de tratamento formal: senhor, senhora.
  • Não coloque RG, CIC, título eleitoral, etc. Os documentos serão pedidos somente nas próximas etapas.
  • Não faça uma narrativa das experiências que já teve, apenas cite-as e coloque informações importantes.
  • Se você já teve muitas experiências e trabalha há anos, informe somente as dos últimos 5 a 10 anos. Ninguém está interessado em saber o que você fazia há 20 anos, somente se for uma experiência que possa acrescentar algo na vaga que está em jogo.
  • Não coloque as razões por ter deixado seus últimos empregos.
  • Não acrescente nenhuma informação no currículo que envolva: raça, religião e filiação partidária.
  • Não fale sobre viagens se elas não agregarem valor profissional e/ou educacional.  

 

  • Seja o mais objetivo possível.
  • Após o concluir a etapa de construção do currículo, leia e releia para garantir que não há erros de português, pois a falta do domínio da língua escrita poderá causar a primeira impressão que terão de você.
  • Não tente enrolar e escrever demais, coloque apenas o necessário. Quanto mais claro, melhor.
  • Verifique se os telefones e e-mails para contato estão corretos, pois caso esteja errado, você pode perder a chance de ser agendado para uma entrevista, ou algo mais. Dê sempre números que você utiliza com frequência.
  • Evite currículos muito longos, o ideal são duas páginas.
  • Dê informações fáceis de serem analisadas.
  • Evite o uso de muitas cores e informações gráficas.
  • Se for seu primeiro emprego ou estágio, não terá o que colocar na experiência profissional. Portanto, foque nos cursos, pois mostra que mesmo não trabalhando, você não ficou parado, fez cursos que acrescentaram no seu conhecimento.
  • Mesmo com experiências profissionais muito diferentes da área que você está buscando, não deixe de citá-las, até mesmo se tiverem sido temporárias.
  • Ao imprimir um currículo para entregá-lo, mostre o seu cuidado, evite impressões de má qualidade e papéis amassados.
  • Cuidado com a escrita, a linguagem utilizada deve ser formal e impessoal.
  • Se a empresa que você trabalhou ou trabalha não for conhecida no mercado, escreva em que setor ela atua.
  • Após finalizar seu currículo mostre-o a um amigo ou familiar, para que possam avaliar e alertá-lo sobre algum possível erro. Melhor ainda é mostrá-lo a alguém que tenha um bom conhecimento de português.

Dicas para Entrevista de Emprego

A entrevista é uma das etapas mais importantes da seleção. Depois de ter uma ideia de como você é através do currículo, o entrevistador tem a chance de te conhecer pessoalmente, conversar e tirar uma conclusão. Portanto, sua função é mostrar que é o candidato ideal para a vaga.

Mas, falar em entrevista já deixa muita gente nervosa, principalmente, para os marinheiros de primeira viagem. Entretanto, depois de uma certa experiência, é possível tirar de letra.

Para não cometer nenhum erro e causar boa impressão, veja algumas dicas se como se portar e quais atitudes tomar, ou não tomar, em uma entrevista:

  • Primeiramente, é importante não chegar atrasado, pois é uma forma de mostrar sua responsabilidade com os horários. Mas também não chegue muito mais cedo da hora marcada, pois pode causar uma situação desconfortável, pois se foi marcada uma hora, é porque antes, provavelmente, o entrevistador estaria fazendo outra coisa. Além disso, pode demonstrar muita ansiedade.
  • Vista-se adequadamente.
  • Não vá entrando, deixe que te conduzam e digam o que fazer.
  • Seja educado, se apresente, sorria e tente não demonstrar nervosismo.
  • Cumprimente apenas com um aperto de mão, nada de beijinhos ou tapinhas nas costas.
  • Desligue o celular antes da entrevista.
  • Durante a entrevista, sente adequadamente e seja cuidadoso com a postura, pois ela pode passar uma boa ou má impressão sobre você.
  • Não coloque seus pertences, nem os braços, sobre a mesa, nem mexa nas coisas que estiverem nela.
  • Não interrompa o entrevistador, saiba ouvir e espere o momento certo de falar.
  • Fale com clareza e naturalidade, nada de frases “gravadas”. Faça com que a entrevista se torne uma conversa normal.
  • Não use gírias, nem trate o entrevistador como seu amigo.
  • Seja objetivo e direto.
  • Converse sempre olhando nos olhos, pois passa mais segurança e confiança ao entrevistador. » Caso não seja natural a você usar uma linguagem formal, não force demais.
  • Caso o entrevistador peça para você começar falando um pouco sobre si, conte sobre sua formação acadêmica, quais são seus interesses, objetivos e as experiências profissionais que deseja ter.
  • Sobre as antigas experiências, não fale mal das empresas e chefias, apenas explique o que fazia, o que aprendeu e, se possível, o que pode ser aplicado no cargo a ser ocupado.
  • Evite respostas do tipo “sim” ou “não”, pois pode demonstrar desinteresse, além de papo não fluir e parecer um questionário. Argumente e elabore suas respostas.
  • Mostre grande disponibilidade e flexibilidade de horários. Jamais faça cara de dúvida, ou de que não gostou.
  • Se informe bem sobre a empresa antes de ir à entrevista.
  • Nunca conte vantagem sobre algo que já tenha vivido, nem sobre pessoas importantes que conhece.
  • Tenha em mente uma ambição para o futuro, algo planejado, caso ele pergunte.
  • Lembre-se sempre: o entrevistado é você. Portanto, não fique fazendo perguntas para o entrevistador, a não ser perguntas sobre a empresa e a vaga a ser preenchida.
  • Cuidado com a imprecisão: “ah... Não sei, acho que sim!”. Tenha certeza e segurança no que fala.
  • Tente demonstrar que você sabe o que quer da vida, é determinado e ambicioso.
  • Caso perguntem sobre suas qualidades, não fique se elogiando demais, nem faça uma lista com todos os pontos fortes. Fale os principais, em que você mais se destaca, e claro, que sejam de valor profissional.
  • Quanto aos pontos fracos, cuidado para não se comprometer, como: “tenho problema com concentração”, quando o cargo exige que o funcionário seja concentrado. Prefira pontos fracos que não sejam tão graves (um pouco impaciente, autocrítico, etc.).
  • Esteja sempre preparado para a pergunta: “Por que você merece esse cargo?” e/ou “Por que você é o candidato mais adequado para trabalhar na nossa empresa?”. Seja sincero e tente surpreender, mas nunca se coloque como o melhor de todos.
  • Outra coisa que pode ser observada na entrevista é se você é uma pessoa sociável. Portanto, deixe de lado a timidez, não fale muito baixo e não tenha medo de se expressar.
  • Seja otimista e nunca se faça de coitado e/ou sofrido.
  • Use termos como: “Não, isso não é problema!”, “Sim, posso!”, “Sim, gostaria!”, “Claro que me interessa”.
  • Deixe transparecer sua busca pela realização profissional e pessoal.
  • Se não souber responder a alguma pergunta, não invente, diga que infelizmente não sabe.
  • Ao final da entrevista, despeça-se com educação e agradeça a oportunidade.

Importante: Caso haja um imprevisto e a impossibilidade de comparecer à entrevista, não esqueça de ligar para avisar, é muito mais compreensível do que simplesmente não ir e não dar nenhuma satisfação.

Roupas: O que usar x O que não usar

Mulheres:

O que não usar: decotes, roupas muito justas, transparentes e curtas (saias e vestidos não devem ultrapassar 4 dedos acima do joelho).

O que usar: roupas mais clássicas e formais, com cores básicas e neutras.

  • Não exagere na maquiagem, nem no perfume, tente ser o mais discreta possível.
  • Unhas sempre bem feitas.

Homens:

O que não usar: bermuda, camiseta e dependendo da empresa e do cargo, calça jeans.

O que usar: roupas sociais, e terno (de preferência escuro).

  • A cor das meias devem combinar com a cor do sapato ou da calça.
  • A cor do cinto deve ser a mesma do sapato.
  • Sempre estar de barba feita.
  • Unhas limpas e bem cortadas.
  • Não exagerar no perfume.

Estagiário e Trainee

Estagiário

O estágio é um trabalho exercido por estudantes e, principalmente, por quem faz graduação. Seu objetivo maior é aprimorar o conhecimento do estudante na área em que ele está se especializando, para que coloque em prática o que tem aprendido na teoria. É como um treinamento, uma fase de aprendizado. Algumas universidades exigem o estágio obrigatório, que é requisito para a certificação do aluno. Já o não obrigatório, depende do aluno querer ter experiência ou não.

Essa é uma fase muito importante para os universitários, pois quando se formam, já possuem boas experiências para se inserir no mercado de trabalho. Com certeza, as empresas preferem contratar profissionais que já tenham realizado algum tipo de atividade na área.

Além disso, é uma oportunidade do estudante já garantir sua vaga, pois muitos que começam como estagiários, acabam sendo contratados.

Mas para quem pensa que arrumar um estágio é fácil, está totalmente enganado! Hoje em dia, a concorrência é muito grande e muitos se formam sem se quer ter conseguido uma vaguinha. Mas há estágios e estágios. Algumas empresas e órgãos contratam estagiários para que possam fazer trabalhos simples e que não têm nada a ver com a área ou, então, para não fazer praticamente nada. É comum ouvir relatos de estagiários que vão ao local de trabalho somente para cumprir horas, porque não têm nada para fazer. Porém, existem também as empresas que, de certa forma, “exploram” o estagiário, principalmente as mais conhecidas, pois sabem que muitos estudantes sonham em conseguir uma vaguinha por lá. Dessa forma, sobrecarregam-lhes de trabalho, fazem com que trabalhem mais horas do que o combinado, entre outros. E existe, também, o estágio, digamos “normal”, em que o estagiário realiza atividades de sua área, não fica sem nada para fazer, mas também não é exigido demais.

Entretanto, também existem estudantes que vão em busca de um estágio apenas pela remuneração. Porém, é necessário que tenham a consciência do papel que o estágio exerce sobre a vida profissional, para que o realizem com responsabilidade. O aluno que busca por um estágio desde cedo e que valoriza essa experiência, tem muito mais chances de sair da faculdade com emprego garantido, ou então de passar na frente de outros candidatos. Além disso, é uma boa forma de criar contatos e conhecer pessoas da área.

- A postura profissional é necessária desde cedo.

Obs.: Todo estágio deve ser regido pela Lei Nº 11.788 de 25/09/2008.

Trainee

O termo “trainee” se tornou muito comum nos últimos anos e até confundido com o “estagiário”. Mas, na verdade, os trainees são jovens que passam por um treinamento longo e bem estruturado para depois ocuparem cargos técnicos e até gerenciais. Uma das diferenças para o estágio é que o jovem não precisa estar, necessariamente, cursando o ensino superior. Além disso, para a maioria das empresas, o estagiário está ali como um “quebra-galho”. Se ele for embora, amanhã chegará outro que fará as mesmas coisas. Já no caso do trainee não: a empresa incentiva o desenvolvimento profissional, realiza um programa superestruturado de treinamento para que o funcionário possa começar assumindo cargos mais altos.

Os trainees possuem, em média, de 22 a 30 anos e geralmente, são recém-formados. Uma das exigências para se tornar um é dominar bem duas línguas estrangeiras.

Para saber se o desempenho de um trainee está satisfatório ou não, é preciso avaliar os seguintes itens:

  • Maturidade;
  • Qualidade dos trabalhos desenvolvidos;
  • Capacidade de relacionamento com os tutores, outros trainees e com os demais funcionários da empresa;
  • Comunicação;
  • Flexibilidade;
  • Capacidade de análise;
  • Liderança

*Itens retirados do livro “Programas de Estágios e Trainess – como montar e implantar”, de Ricardo Luz.

Utiliza-se o termo “trainee”, pois no português não há um termo específico que diga a mesma coisa; o mais próximo seria “Aprendiz Profissional”.